Ligue no seu Sindicato: (62) 3089-5351

SINDIGOIÂNIA/2018

INFORME SINDICAL - IMAS

 

Vitória do servidor

Ministério Público quer que pai e mãe sejam aceitos como agregados em plano de saúde dos servidores

A ASGCMG- Associação dos Servidores da Guarda civil Metropolitana de Goiânia
junto com o Sindicato dos Trabalhadores da prefeitura de Goiânia- Sindigoiânia nas pessoas do GCM GLECIO, e Ronaldo Gonzaga, presidente interino do Sindigoiânia recorreu ao Ministério Público de Goiás pedindo a revogação da portaria 040/2017.

Uma decisão judicial via portaria impediu que pai e mãe fossem incluídos como agregados no IMAS- Instituto de Assistência à Saúde e Social dos Servidores Municipais de Goiânia.

No documento expedido pela promotora de justiça Marísia Sobral Costa Massieux, o Ministério Público recomenda ao IMAS a suspensão da decisão, e que o Instituto volte a atender pai e mãe de servidores.

Att.: Glecio Diretor Jurídico e Conselheiro do Conas
W.Moreira Presidente da ASGCMG

 


WhatsApp Image 2018 04 16 at 14.05.22

 

____________________________________________________________________________________________________________________________________________________

 

INFORME SINDICAL 

 

WhatsApp Image 2018 04 16 at 14.03.36

____________________________________________________________________________________________________________________________________________________

INFORMATIVO SINDIGOIÂNIA

 

WhatsApp Image 2018 04 16 at 14.03.24 1

 

WhatsApp Image 2018 04 16 at 14.03.24

 

____________________________________________________________________________________________________________________________________________________

 

INFORME SINDICAL - IPSM

 

WhatsApp Image 2018 03 22 at 18.37.57

 

SINDIGOIÂNIA:situação dos aposentados e pensionistas quanto aos consignados.

Nesta quinta-feira, 22, o professor Adão Câmara, diretor financeiro do Sindigoiânia e a assessora jurídica do Sindicato dos Trabalhadores da Prefeitura de Goiânia Kátia, estiveram com o presidente do IPSM Sílvio Antônio Fernandes, para discutir a dívida do município com o Instituto de Previdência dos Servidores Municipais de Goiânia e a situação dos aposentados e pensionistas quanto aos consignados. O Sindigoiânia tem a informação que muitos servidores estão comprometendo todo os seus proventos com empréstimos.  Por lei, o percentual de comprometimento é de até 30% do total bruto. O Sindigoiânia também busca uma  forma para que os repasses dos sindicalizados sejam feitos de imediato após o pagamento da folha. O presidente do IPSM nos informou que estão sendo feitos estudos para modernização para que se tenha a real situação financeira dos ativos e passivos para um planejamento adequado da previdência de nossos servidores.

____________________________________________________________________________________________________________________________________________________ 

 

INFORME SINDICAL

Mais um benefício conquistado para o Servidor Público do Munícipio de Goiânia

WhatsApp Image 2018 03 01 at 10.07.43

 

A Prefeitura de Goiânia autorizou nessa quarta-feira, 28, o reajuste em 100% do valor do cartão Vale Alimentação dos servidores públicos da Saúde.

Foi durante reunião com presenças do prefeito Iris Rezende, o secretário Rodrigo Melo, vereador Romário Policarpo, o presidente interino do Sindigoiânia Ronaldo Gonzaga, e diretores do sindicato e o deputado estadual Bruno Peixoto.

Com a reposição, o valor do benefício, que era de R$ 7,50, passou para R$ 15.
O convênio entre a Secretaria Municipal de Saúde (SMS) e a empresa Biq Benefícios LTDA prevê a emissão e entrega de Vale Alimentação, por meio de cartão eletrônico com recarga mensal, destinada à aquisição de gêneros alimentícios em estabelecimentos comerciais.


“O prefeito Iris Rezende foi sensível à nossa demanda, que vai beneficiar 2.300 servidores da Saúde da Capital”, destacou o vereador Romário Policarpo, aliado do prefeito e que intermediou as negociações entre a secretária Fátima Mrué e o SindiGoiânia, Sindicato dos Trabalhadores do Município de Goiânia.

Ao todo serão 23 mil unidades mensais fornecidos aos servidores, com um investimento de R$ 345 mil mensais. Somando, por ano, mais de R$ 4 milhões destinados aos plantonistas das unidades de Saúde de Goiânia. A SMS afirmou que aguarda a certificação da Controladoria Geral do Município (CGM) para começar a execução do contrato.

O prefeito Iris Rezende reforçou o compromisso com a Saúde e garantiu o compromisso com o servidor municipal. “Apesar das dificuldades financeiras que a Prefeitura ainda enfrenta, nós entendemos que o valor do vale alimentação carecia de um reajuste e atendemos a justa reivindicação do vereador e do Sindigoiânia”, disse o prefeito.

 ____________________________________________________________________________________________________________________________________________________

INFORME SINDICAL

Sindigoiânia é contra transferência do IMAS para IPASGO

WhatsApp Image 2018 02 27 at 21.06.53

 

O Sindigoiânia- Sindicato dos Trabalhadores da Prefeitura de Goiânia é totalmente contra a transferência da gestão do Instituto Municipal de Assistência aos Servidores (Imas), que é o plano de saúde do funcionalismo da prefeitura, ao Ipasgo, administrado pelo Estado.


O Imas vive a pior crise da sua história. Está sem pagar médicos credenciados, pacientes com câncer deixaram de ser atendidos com
quimioterapia e para piorar o plano, hospitais e clínicas suspenderam no último dia 26, o atendimento pelo IMAS.


A suspensão nos atendimentos afeta associados e cerca de 2 mil prestadores de serviço.

"São cerca de 35 mil servidores titulares e quase 50 mil dependentes com contribuições descontadas todos os meses no salário.
A questão não é financeira e sim de gestão. O Imas por ser um Instituto, deveria ter um departamento que fiscaliza e audita os processos. Hoje isso cabe a controladoria do município que demora meses para dar certificação para depois fazer o pagamento", afirma Ronaldo Gonzaga.

 ____________________________________________________________________________________________________________________________________________________

 INFORME SINDICAL

Adicional para servidores da educação

 

WhatsApp Image 2018 02 27 at 13.59.03

 

O Sindigoiânia- Sindicato dos Trabalhadores da Prefeitura de Goiânia através do presidente interino Ronaldo Gonzaga, voltou a negociar mais uma vez com a prefeitura nesta segunda-feira, 26, o pagamento do adicional que possibilita acréscimo de 30% nos salários dos servidores da educação.

A reunião foi com os Secretários de Administração, Finanças e de Governo, é no sentido do município garantir o adicional se trata de um incentivo funcional para auxiliares de atividades educativas,
previsto pela Lei 9.637/2015.

O Sindigoiânia alerta que o adicional é importante para compor o salário do Servidor que é baixo, e também por manter a qualidade e motivação do trabalho da categoria dos Profissionais em Educação, categoria sofrida, e sem valorização por parte do poder público.

O assunto voltará a ser discutido pelo
Sindigoiânia na tarde de hoje.

 

____________________________________________________________________________________________________________________________________________________

 

 

INFORME SINDICAL

SINDIGOIÂNIA - DATA BASE

 

WhatsApp Image 2018 01 31 at 14.45.04

 

Sindigoiânia discute com prefeito Iris Rezende data-base dos servidores


O presidente interino do Sindigoiânia Ronaldo Gonzaga, e o diretor financeiro professor Adão Câmara, foram recebidos nesta quarta-feira, 31, pelo prefeito Iris Rezende, e pelo Secretário de Administração Rodrigo Melo.

Durante a reunião no Paço, o Sindicato dos Trabalhadores do Município de Goiânia (Sindigoiânia), cobrou o reajuste de salários dos servidores administrativos e operacionais.

A data-base deveria ter sido concedida em maio do ano passado. Por Lei, Projeto de Lei deveria ter sido encaminhado à Câmara ano passado.

O Ministério Público também está na questão.

Segundo Ronaldo Gonzaga, presidente interino do Sindigoiânia, o Sindicato também discutiu outras demandas com o prefeito.

Pauta de reivindicações da categoria:

Data-base dos servidores; pagamento das progressões; aplicação do piso nacional; chamamento dos concursados da educação; vale alimentação para servidores da saúde; concessão das progressões de 2016 dos professores, até abril; resolução imediata da situação do IMAS que enfrenta dificuldades para atendimento aos servidores; pagamento dos salários no último dia útil do mês trabalhado; construção de um CMEI no Paço para filhos de servidores e implantação de exames laborais para evitar afastamento de servidores por doenças.

Ficou definido que em 30 dias, a prefeitura discutirá com o Sindigoiânia um cronograma em relação a data-base e as progressões dos servidores.

 

À DIRETORIA

___________________________________________________________________________________________________________________________________________________

NOTA PÚBLICA SINDICAL

 

Nota sindical Saude

 

____________________________________________________________________________________________________________________________________________________

Nota Pública Sindical

____________________________________________________________________________________________________________________________________________________

 

NOTA DE REPÚDIO - INFORME SINDICAL

 

Nota de Repudio 01

 

 

SINDIGOIÂNIA E SINTEGO SE REUNE COM O SECRETÁRIO DE EDUCAÇÃO MARCELO COSTA - 05/04/2017

SME 

 

1491509416b3aa7d6ab0453c7312d6b08f4b21d6eb 

____________________________________________________________________________________________________________________________________________________

 

ATENÇÃO SERVIDORES PÚBLICO MUNICIPAIS DE GOIÂNIA

JOÃO DOMINGOS CSPB

A situação da Previdência pode PIORAR

ARTIGO:

“O Brasil precisa de reformas, não de remendos” João Domingos Gomes dos Santos é presidente da Confederação dos Servidores Públicos do Brasil (CSPB)

Por João Domingos Gomes dos Santos O País passa por transformações profundas e que estão se processando em um ritmo muito acelerado. Acreditamos que a rigor toda mudança e renovação sejam salutares, mas há situações que ao invés de fazer avançar promovem retrocessos sensíveis para toda a nação, o que é por demais negativo em todos os sentidos. Esses últimos dias foram paradigmáticos para a classe trabalhadora como um todo por conta do desenrolar dos fatos envolvendo a Reforma da Previdência que está na Proposta de Emenda Constitucional (PEC 287/2016).

A classe trabalhadora conseguiu uma retumbante vitória com a aprovação de uma medida de autoria do senador Paulo Paim (PT-RS) para a criação de uma Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) para investigar a previdência social. Isso será fundamental para tornar claro os desvios, as sonegações, as mentiras, as renúncias fiscais, enfim, todos os malefícios que tornam a previdência no Brasil objeto de tantas especulações. Isso foi crucial por vários motivos, a começar da demonstração inequívoca de que o governo começa a ter desintegrado seu leque de apoio no Senado Federal. Um pedido de CPI como esse há um mês não passava de 18 assinaturas favoráveis e precisava de 27 para ser aprovado, no final teve a concordância de 58 senadores, sendo que a maioria da base do governo. Outra comprovação de que os ventos mudaram de direção foi que horas após a medida ser apresentada o presidente do Senado leu a matéria em Plenário, abriu a CPI e pediu aos partidos políticos a indicação de representantes para sua instalação. Isso significa que o próprio Senado está lançando um alerta para a sociedade brasileira dizendo que há algo errado com a previdência e que é preciso ser esclarecido com máxima urgência. Isso é motivo de regozijo para a classe trabalhadora e para toda a população brasileira. Cada um que participou dessa luta tem a certeza de que vale a pena resistir, vale a pena lutar.

O outro motivo, não menos importante, foi o governo do presidente Temer anunciar que vai retirar de seu projeto de reforma da previdência os servidores dos Estados e Municípios. Foram várias as manifestações: entusiasmo, alívio e até de afrouxamento das forças que cerravam fileira contra essa ameaça de sacrificar ainda mais a sofrida classe trabalhadora. Além da preocupação sobre o que irá ocorrer daqui pra frente temos a responsabilidade de tentarmos enxergar o que está por trás dessa medida. 

 “NÓS, DO MOVIMENTO SINDICAL TEMOS A OBRIGAÇÃO CONCEITUAL DE CERRARMOS FILEIRAS JUNTO COM OS TODOS TRABALHADORES POR PRECEITO DE DEFENDERMOS A SOLIDARIEDADE DE CLASSE, MAS SE ISSO NÃO FOR MOTIVO SUFICIENTE DEVEMOS PARTICIPAR COM REDOBRADO ESFORÇO PELO PREVENTIVO INSTINTO DE SOBREVIVÊNCIA, PORQUE O GOVERNO NÃO PROPÕE NADA QUE SEJA BENÉFICO PARA NÓS, AO CONTRÁRIO SOMENTE O QUE NOS PREJUDICA E SACRIFICA AINDA MAIS”

Sob o manto de respeitar o pacto federativo e não mexer com os Estados e Municípios, na verdade o que o governo federal fez foi armar um golpe para nós trabalhadores brasileiros. Essa mudança de atitude significa uma armadilha muito maléfica porque se hoje estamos cerrando fileiras contra essa reforma os trabalhadores do setor público das três esferas de governo – federal, estadual e municipal – junto com os trabalhadores do setor privado em geral e junto também com a sociedade brasileira e mesmo assim encontramos tanta dificuldade em barrar o projeto do governo, o que será então em um outro ambiente com as forças divididas. Cada estado, cada município terá de lutar sozinho para barrar as maldades que certamente virão. Os governadores e prefeitos estarão livres até para piorar o que hoje está no projeto do governo federal, esse que é vigiado por toda a sociedade de modo geral.  Portanto, o alerta que fazemos é que não podemos morder essa isca porque há um anzol muito nefasto e venenoso atrás dela. Ao contrário, vamos aumentar a mobilização, dar maior dimensão a essa luta e sobretudo para os servidores públicos federais é imperioso estarmos certos de que o governo tenta nos apartar dos estados e municípios. Há um ensinamento popular, principalmente na roça que diz com muita sabedoria que “gado separado é comida de onça”, ou seja, divididos seremos tragados pela nefasta tentativa do governo. Precisamos nos engajar ainda com mais força contra a reforma que o governo pretende nos impor. Nós, do movimento sindical temos a obrigação conceitual de cerrarmos fileiras junto com os todos trabalhadores por preceito de defendermos a solidariedade de classe, mas se isso não for motivo suficiente devemos participar com redobrado esforço pelo preventivo instinto de sobrevivência, porque o governo não propõe nada que seja benéfico para nós, ao contrário somente o que nos prejudica e sacrifica ainda mais. Vejo claramente essa tentativa do governo de dividir a grande massa de trabalhadores e da sociedade que há anos não se mobilizava assim em confluência de ideias e de uma causa. Para justificar a necessidade de participação de servidores públicos de estados e municípios há um dado de fundamental importância: o Brasil tem hoje 27 estados e cerca de 5.500 municípios, desse conjunto existem apenas pouco mais de 2.100 regimes próprios de previdência. Somente esses estados e municípios estarão fora do conceito apresentado pelo presidente Temer. Assim, a imensa maioria, cerca de 80% de estados e municípios estarão incluídos no Regime Geral de Previdência, portanto serão atingidos em cheio com essa reforma. Esperamos que tenham a clareza do perigo que isso representa e do quanto nossa responsabilidade é aumentada com a necessidade de mobilização e esclarecimento de todos os envolvidos com o movimento que é de toda a sociedade. Mais, luta, mais mobilização, mais amplitude da luta contra a reforma da previdência.



Leia mais Falando a Verdade! http://www.falandoaverdade.com.br/artigo-o-brasil-precisa-de-reformas-nao-de-remendos/

 

____________________________________________________________________________________________________________________________________________________

NOTÍCIA DE HOJE - 24/03/2017

Reunio com Iris 01

_________________________________________________________________________________________________________________________________________________

 

 

IMG 20170217 WA0008

____________________________________________________________________________________________________________________________________________________

NOTÍCIA Nº.00

Hoje pela manhã aconteceu uma reunião com a Secretária da Saúde Fátima Mrue e os representantes do SINDIGOIÂNIA, Professor Lindomar Resende Rodrigues - Secretário Geral e Professor Luiz de Gonzaga Adão Câmara - Assessor da Presidência, buscando parceria e cobrando direitos dos servidores.

 

IMG 20170216 WA0015

____________________________________________________________________________________________________________________________________________________

NOTÍCIA Nº.01 

Instalação de CEI na Câmara Municipal que investigará a Gestão Anterior assinado pelo Vereador Romário Policarpo.

 

O Vereador Romário Policarpo solicitará também junto a CEI uma investigação em todas as secretarias da prefeitura.

 IMG 20170130 WA0004

 

 

NOTÍCIA Nº.02

SORTEIO - UM FINAL DE SEMANA NO THERMAS CALDAS AFFEGO

 

SORTEIO AFFEGO

 

Conforme anunciado, foi realizado no dia 31 de Novembro de 2016 as 14:00 hs na SEDE DO SINDIGOIÂNIA, o sorteio para um final de semana para dois associados ao SINDIGOIÂNIA com direito a acompanhante, no THERMAS CALDAS AFFEGO, o voucher é intransferível e os ganhadores tem 03 (três dias) úteis para retirá-los na sede do sindicato a contar da data do dia 01/11/2016.

Os ganhadores foram:

1-Vilson Monteiro

2-Elizeu Gonçalves de Souza

O sorteio foi realizado pela funcionária Ana Paula e acompanhado pelo Secretário Geral do Sindicato, Professor Lindomar Resende Rodrigues; Dra. Katia Chefe do Jurídico; Sr. Danilo Cesar presidente da Associação da Guarda Civil Metropolitana e demais associados.

 

___________________________________________________________________________________________________________________________________________________ 

 NOTÍCIA Nº.03

SINDIGOIÂNIA FECHA CONVÊNIO COM AFFEGO

Not 01       Not 02     Not 03

 

O Sindicato dos Trabalhadores do Município de Goiânia (SINDIGOIÂNIA) e a Associação dos Funcionários do Fisco do Estado de Goiás – AFFEGO,firmaram na tarde de ontem, 18, uma parceria que permitirá aos associados do SINDIGOIÂNIA e seus dependentes  usufruírem das dependências do Hotel TCA, em Caldas Novas.

O convênio foi firmado entre os presidentes Joaquim Dilton de Moura Ornelas (Affego) e Romário Barbosa Policarpo (SINDIGOIÂNIA).

Pelo convênio fica determinado que os diretores, funcionários, associados e dependentes do SINDIGOIÂNIA estão autorizados a se hospedar no Hotel TCA com preços de diárias que ficarão na média entre aquelas cobrados dos associados e dos não associados da Affego.  

O convênio está regido por prazo indeterminado e espera-se que, por meio dele, seja possível avançar na questão da ocupação a área de lazer ao longo do ano.

 

 _________________________________________________________________________________________________________________________________________________

 

 NOTÍCIA Nº.04

 GUARDA CIVIL METROPOLITANA RECEBE VALE ALIMENTAÇAO

IMG 20160623 WA0010                              foto 2602

 

Documento que garante o vale alimentação aos profissionais da Guarda Civil Metropolitana (GCM) foi apresentado e entregue na manhã desta quinta-feira, 23, pelo prefeito Paulo Garcia ao Presidente Interino do Sindicato dos Trabalhadores do Município de Goiânia – SINDIGOIÂNIA Lindomar Resende, substituindo o Presidente licenciado Romário Policarpo e ao Presidente da Associação dos Servidores da Guarda Civil Metropolitana – GCM Danilo César. Solenidade foi acompanhada por servidores da corporação, que comemoraram mais um benefício.

O vale alimentação será concedido aos agentes que estão no exercício das atribuições dos cargos vinculadas às atividades da GCM. Conforme o documento, o valor do vale alimentação será de 30% do vencimento inicial do Nível 1 do cargo efetivo da Guarda Civil Metropolitana.

Será concedido em duas parcelas e na proporção de 50% cada uma. A primeira parcela será disponibilizada a partir do mês de julho e a segunda a partir do mês de dezembro e o pagamento será realizado sob a forma de abono pecuniário, de natureza indenizatória, e não incorpora à remuneração do cargo.